Há Perigo no Caminho?

  
Vez por outra, pego o meu cajado e vou dar umas voltas pelos Caminhos. Morador da região, privilégio, que confesso, me faz sentir imensamente grato a Deus por viver num local tão belo. Ainda temos mata atlântica, animais já extintos em outras áreas, clima temperado e aquele jeitinho mineiro de puxar conversa, contar causos.
 
Outro dia mesmo, numa dessas conversas, surgiu o assunto: há perigo no Caminho? Foi daí que começamos destrinchar a história e enumerar tais perigos. Isso é bom, principalmente para prevenir aqueles que vêm aqui nos conhecer. 

Ainda não existe uma seqüência sistemática de tais perigos. 

Vamos começar pelo carrapato, que aliás, é um chato; chato não, chato é outra coisa, é um carrapato mesmo. Quanto menor, mais chato, digo, carrapato. Gruda, gruda, silenciosamente, como os mineiros (aqueles, ôrfãos de praia) e depois vão mostrando a que vieram: sugam o seu sangue, deixando de presente, uma coceira danada que tem um nome mais danado ainda - sarna. Mas, tem jeito: evite aquelas cenas hollywoodianas de correr pasto afora e depois rolar na grama, tipo noviça rebelde. 

Bicho de pé, esse é meio parente do carrapato. Também chega de mansinho, se ajeita principalmente no dedão. Quando você descobre, já montou casa, constituiu família, aquele batatão; é um sem teto. Mesmo assim, o pessoal aqui costuma dizer que "bom mesmo, é dinheiro, muié e bicho de pé”. 

Pulga, essa aí, é uma artista, deveria mesmo é ficar nestes cirquinhos que são bem apropriados para ela. Tem jeito? Tem! E só quando chegar em alguma das casas à beira do caminho, não querer agradar demais o proprietário dando aquela de protetor dos animais e sair abraçando tudo que é cão e gato. Menos... 

Elefante. Não tem! Ainda bem, um elefante incomoda muita gente. 

Cobra? Gente, como tem cobra. Tem até cobra cega. É aquela mesmo, dos tempos de criança. Se quiser brincar de cobra cega, pode ficar à vontade. E só pular. Você já pulou corda, então pula cobra ou mata e come. O pessoal aqui faz o seguinte: uma cobra de seis palmos, mede três palmos da cabeça em direção ao rabo, depois mede três palmos do rabo em direção à cabeça e aí... come o resto. Não se preocupe com o IBAMA, pode comer cobra a vontade, tem muita. 

Cachorro. É uma cachorrada só. É o que mais tem. Cachorrão de tudo que é jeito. E as cachorras? Não tem roblema como dizia o Ibraim, "os cães ladram e os caminhantes passam”. Brincadeira, gente. Dizem também que cão que ladra, não morde, só ladra. 

Coruja, tem! Tem muita. Se bem que a coruja não chega a ser um perigo. Segundo minha avó dizia: coruja que não gava o toco, pau nela! 

Macaco, não chega a ser um problema, mas é bom tomar cuidado. E comum encontrar macaco trepado em uma mangueira, comendo banana. Come muito e fica gordão. É, como dizem por ai, “Quem quebra galho, é macaco pesado”. Então, antes de passar debaixo de uma mangueira, dê uma boa olhada. 

Tigre de bengala, não tem. Tem alguns tigrões, mas não tem bengala não, só cajado. 

Papagaio, principalmente papagaio de pirata, aquele que chega, pousa no seu ombro e fica falando palavrão e contando piadas nada santas. 

Gatas. Tem de montão, mais algumas, nem leão de circo come; também é brincadeira. Gatões, só de meia idade. Não precisa se preocupar: Não atacam não, estão todos comprometidos. 

Lobo mau, tem! É também muito perigoso, tem boca grande, dentes grandes, tudo grande, todo cuidado é pouco. Mas é só não dar uma de chapeuzinho vermelho e nem de vovózinha, saindo da trilha e se perdendo na floresta.

Preguiça, se encontrar alguma pelo caminho, vá em frente. Não dá vez para ela não, vai atrasar a sua caminhada. Algumas levam meio dia ou mais para atravessar de um lado pro outro. Gente preguiçosa. Tem muuuiiiita! 

Saci Pererê. tem! Muito cuidado, principalmente se for saci de duas pernas. É falso! 

Trombadinha, não tem! Trezoitão, escopeta e AR15, também não. Antigamente, tinha um tal de AI5, fazia o maior estrago! Ainda tem umas espingardas de 2 canos, garruchas enferrujadas, uma faquinha aqui, um canivete ali (só não é suíço). Mas depois daquela campanha milionária de desarmamento, não era para ter mesmo. 

Zidane, não tem! O cara é um perigo, principalmente nas cabeçadas, ainda bem que não tem. 

Vaca. Esta talvez seja um dos maiores perigos do caminho. Ela fica ali. oh! Bem no meia da estrada, de montão. Te olhando de rabo de olho, mascando aquele chicle de capim o tempo todo. Dá uma abanadinha de orelha, espanta um mosquito, joga umas plastas de um quilo pelo chão. Num arreda não, tem que passar por cima. Bom mesmo é vaca atolada, aquela cozida com mandioca.
 
Lobisomem, tem! Mas não se preocupe, só aparece de noite e com lua cheia. Só tem perigo se você for chegado a uma caminhada noturna. Aí, mano, vai rolar! 

Amigo oculto, este não tem talvez não, é o maior perigo. Sai fora! Amigo oculto é aquele que inventa história, enxerga coisa que não existe, não diz coisa com coisa e está sempre a fim de atrapalhar o seu caminho. Tem medo de encarar a realidade e bater papo frente a frente. É um atraso. Principalmente, se além de amigo oculto, for também amigo da onça. Aí, meu amigo, só com muita reza e benzeção. Fica tranqüilo, que rezador e benzedeira também tem.
 
Onça. Não tem, tinha. Os amigos acabaram com elas. 

Cervantti - o Caminhantti Errantti



Comments